quinta-feira, 2 de outubro de 2008

As minhas (quase) 10 cenas mais marcantes da história do cinema.

Não sou muito apegado a listas, sempre acabo me esquecendo de alguém ou de algo quando já é tarde, mas tudo bem. O Guilherme “Amargo”, companheiro de blog da FAECV, expôs a sua com “As minhas (no caso, suas) 10 cenas mais marcantes da história do cinema.” , e desafiou-nos a fazermos as nossas. Rabisquei a minha no Jardim Ipê, indo para o meu curso. Hoje, transcrevo-a na íntegra. É nítido o meu pouco conhecimento sobre o tema, tanto por não ter conseguido atingir o número de dez cenas, quanto pelo fato de que 50% delas são de um mesmo diretor. Se já é difícil para mim escrever sobre temas sobre os quais tenho conhecimentos razoáveis, imaginem versar sobre algo com o qual tenho pouca afinidade, como é o caso da sétima arte. Mas vamos lá:

8 – Tom Cruise, vendo Nicole Kidman dormindo em “De olhos bem fechados”
Ele tinha certeza que ela o traíra. Tentou se vingar, mas não conseguiu. Mesmo com tudo isso, ele não consegue ter raiva dela, olhando para aquele rosto angelical. Retrato fiel da fraqueza de um homem diante da mulher amada.

7- Kevin Spacey, com um porta-retratos nas mãos, em “Beleza Americana”, dando-se por conta de que é feliz, antes de levar um tiro na nuca.
Impressiona-me sua expressão de alegria e de satisfação. Pouco importa o desfecho, ele morre realizado.

6- A corrida de bigas, em Ben-hur.
Uma cena épica, memorável, numa época em que efeitos especiais eram coisas inimagináveis. Hoje em dia uma cena dessas passaria batida, mas naquela época...

5- O primata detonando tudo com um osso, em “2001 - uma Odisséia no Espaço”.
O homem, ou seu ancestral, descobre o poder das armas e sua importância para subjugar os outros. Uma aula de antropologia.

4- Massimo Troisi declara seu amor à sua musa, em “O Carteiro e o Poeta”.
É um alento para os tímidos e introvertidos ver o carteiro vencendo sua introspecção e conquista o coração da amada.

3- os companheiros de Kirk Douglas não deixam que ele se entregue para ser morto pelos romanos, em “Spartacus”.
Com a revolta dos escravos controlada pelos romanos, estes agora querem identificar e punir seu líder. Caso contrário, todos serão crucificados. Mas quando Spartacus vai se entregar, seu companheiro do lado brada “I’m Spartacus”, seguido de outro e mais outros, não deixando que os romanos descobrissem seu líder. Companheirismo e lealdade no nível máximo, raro de se encontrar hoje em dia.

2- Adrien Brody, escondido em um apartamento, desliza os dedos sobre o teclado de um piano, em “O Pianista”.
Escondido em um apartamento em Varsóvia, o músico depara-se com um piano, e toca uma música imaginária, passando os dedos a uma distância segura das teclas. Ao mesmo tempo tem um piano a disposição, mas não pode tocá-lo.

1- Malcolm McDowell “diverte-se” com duas mulheres ao som de “Wilhelm Tell”, em “Laranja Mecânica”.
Nunca uma trilha sonora combinou tão bem com uma cena.


E já deixo avisado que os próximos "memes" a respeito de cinema, botânica, fisiculturismo ou os que exija bom conhecimento da língua inglesa poderão demorar (e muito) para serem respondidos. Peço a compreensão de todos.
Related Posts with Thumbnails