sexta-feira, 25 de março de 2011

Mengele: a solução final para a agricultura

Saiu agora à pouquinho o resultado de uma pesquisa realizada pelo pessoal da Genética da UFRGS e profissionais do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, na qual se procurava uma explicação para o elevado número de gêmeos nascidos na cidade de Cândido Godoy, aqui pertinho, especialmente na linha São Pedro. Sem querer subestimar as plantas da minha horta, até o meu pé de alecrim sabia que a resposta estava na carga genética. Por acaso seria a mandioca que eles comem? O ariticum? Ou a água do poço?

Bem, para o espanto de todos a reportagem da TV deu ênfase neste ponto, dizendo que esta hipótese não está descartada e que pode haver uma relação entre o consumo desta água e a fertilidade.

Ficou feio para a RBS. Tudo bem que se crie uma lenda em torno da água, tendo em vista um possível potencial turístico do "fenômeno". Afinal, muitas pessoas iriam querer conhecer o local e tomar água da bica. Mas se era pra inventar uma história, que ficassem com a do Mengele, que supostamente esteve por lá fazendo experiências científicas.

Falando no médico alemão, a revista Aventuras na História deste março traz uma matéria de capa sobre ele, com informações sobre sua vida na América do Sul e tentando reconstituir seus passos até sua morte. Morando na Argentina, casando no Uruguai, ele também teria circulado pelo Paraguai e pelo Brasil.

As histórias e os paradeiros citados são muitos. Mesmo sem ter prova alguma (de acordo com a revista), Simon Wiesenthal afirmava que Mengele morou em Assunción,  circulando por suas ruas com uma Mercedes Benz 280 e andando de iate pelo rio Paraná. 

Não é preciso conhecer a capital paraguaia como eu para saber que o rio Paraná corre bem longe daquela cidade. Não porque eu tenha visto, mas é fácil de se supor que os moradores locais prefeririam levar seus barcos ao rio Paraguai, que banha a cidade. Ou ele não sabia muito de geografia, ou estava mentindo. Em  se tratando de Wiesenthal...

Mas o que mais me chamou a atenção foi descobrir que a família de Mengele tinha uma indústria de produtos agrícolas na Alemanha, a Mengele Agrartechnick, empresa que ainda existe, apesar de já ter mudado de donos. As fotos são do site da firma.

Editado em 22/01/2014: em 2011, quando escrevi este texto, a Mengele Agrartechnick passou a fazer parte do grupo holandês Lely, que ainda mantém o nome famoso em alguns produtos.







A criatividade não é o forte da publicidade alemã, mas eu fico aqui imaginando alguns prováveis anúncios que a firma poderia realizar utilizando a fama do Mengele mais conhecido.

"Chega de experiências bizarras no campo: escolha Mengele!"


"Seu equipamento é uma tortura? Vá de Mengele!"



Ou esta do título: "Mengele: a solução final para a agricultura".
 





Como donos de banco, de joalherias e psiquiatras não são seus clientes em potencial, creio que não haveria maiores problemas.
Related Posts with Thumbnails